Página Inicial / Notícia / Economia

Petrobras anuncia redução de 4% no preço da gasolina

A Petrobras anunciou, nesta quinta-feira (30/7), uma redução de 4% no valor da gasolina nas refinarias. O impacto por litro será de R$ 0,0692, de forma linear para todos os polos. A estatal não mexeu no preço do die

31/07/2020 - João Rodrigues

/ Foto: Reprodução

A Petrobras anunciou, nesta quinta-feira (30/7), uma redução de 4% no valor da gasolina nas refinarias. O impacto por litro será de R$ 0,0692, de forma linear para todos os polos. A estatal não mexeu no preço do diesel.

Desde 7 de maio, a companhia vem aumentando o valor da gasolina praticamente uma vez por semana. Essa é a primeira redução desde então. Antes do próximo reajuste, o valor acumulava queda de mais de 10% no ano. Agora, passou a acumular redução de 13,8%.

Em 2020, foram 22 reajustes no valor da gasolina comercializada nas refinarias para as distribuidoras do combustível. O 23º entrará em vigor amanhã. Do total, foram 10 aumentos e 12 reduções, sendo a retração anunciada hoje a 13ª queda no valor. Com a redução de 4,0% a partir de amanhã (31), o preço médio da gasolina da Petrobras para as distribuidoras passa a ser de R$ 1,65 por litro.

Em Brasília, é possível encontrar gasolina nas bombas por menos de R$ 4. De acordo com levantamento da ANP em 47 postos do Distrito Federal, o preço médio da gasolina comum para o consumidor na semana de 19 e 25 de julho foi de R$ 4,144. O menor preço encontrado foi de R$ 3,799. Já o maior foi de R$ 4,459. O preço médio nas distribuidoras foi de R$ 3,716.

Já nesta semana, os preços têm variado. O profissional de segurança privada Manoel Aguiar, de 47 anos, costuma abastecer na Estrada Parque Núcleo Bandeirante (EPNB) e no Guará. Ele chegou a abastecer por R$ 3,89 o litro, na última segunda-feira (27).

Já o aposentado Humberto Otaviano, 64, aposentado do serviço público, abasteceu hoje e pagou R$ 4,08 pelo litro da gasolina comum em um posto entre Samambaia e Taguatinga. Para ele, há pouca diferença nos preços praticados entre os postos. “Houve uma estabilidade, na média, e a variação se deve à competição de um para outro posto, porém pouca diferença”, afirmou.

Fonte: Correio Braziliense