Página Inicial / Notícia / Artigos

Assessoria jurídica do PP pedirá a cassação do mandato de Padre Walmir

De acordo com Belê, os principais elementos destacados pela assessoria jurídica do PP para justificar o ingresso de ações estão relacionados a um suposto uso do poder econômico por parte da coligação vencedora.

23/12/2016 - João Rodrigues

Padre Walmir (PT) e Gil Paraibano (PP) / Foto: Reprodução

Presente na solenidade de posse dos candidatos eleitos em Picos, realizada na quadra do CEEP (Centro de Educação Profissionalizante) Petrônio Portela, no último sábado (17), a deputada Estadual, Belê Medeiros (PP), informou que a assessoria jurídica do Partido Progressista protocolará uma ação no TRE/ PI (Tribunal Regional Eleitoral do PI) onde pedirá a cassação e a impugnação da chapa vencedora nas eleições de 02 de outubro, formada pelo prefeito, Padre José Walmir de Lima (PT) e o vice-prefeito, Edílson Alves de Carvalho (PTB).

“Temos uma AIM [Ação de Impugnação de Mandato Eletivo] para ser protocolada, se não me engano, no dia 02 [de janeiro] exatamente no período que é depois da diplomação, e há uma grande possibilidade da gente entrar com essa AIM e a gente vai aguardar [o resultado] com muita tranquilidade, absolutamente em paz”, falou a parlamentar.

Contudo, Belê Medeiros frisou que o grupo político do empresário e ex-prefeito, Gil Paraibano (PP), não tem feito expectativa em cima de uma possível reviravolta no resultado das eleições municipais em Picos.

“Tio Gil continua com suas atividades, dentro das suas empresas e nós temos orientado nossos vereadores e aqueles que ainda estão apaixonados, como se a campanha ainda não tivesse terminado, que tenham muito cuidado muita calma para que a gente possa conduzir isso da forma mais tranquila possível”, ponderou a deputada.

A parlamentar pepista também confirmou que outras ações que pedem a impugnação e a cassação do mandato do Padre Walmir já tramitam na Justiça.

“Infelizmente muitos elementos foram apontados e existem realmente ações de pedido de cassação e impugnação do mandato do prefeito, e a gente vai aguardar naturalmente ver o que a Justiça Eleitoral entende sobre isso”, comentou.

De acordo com Belê, os principais elementos destacados pela assessoria jurídica do PP para justificar o ingresso de ações estão relacionados a um suposto uso do poder econômico por parte da coligação vencedora.

“O mais forte é esse, mas têm outros elementos, e no que eu vi rapidamente no processo elaborado pela equipe eu acho que o ponto mais forte caminha por aí, vamos aguardar”, completou Medeiros.

Antes da solenidade em que foi diplomado prefeito de Picos, Padre Walmir negou a existência de alguma ação na Justiça pedindo a sua cassação e rebateu as acusações.

“Nós estamos conscientes das nossas responsabilidades, nós estamos conscientes da seriedade como nós chegamos até aqui, agora quem acusa é que tem de provar”, concluiu o prefeito de Picos.

Fonte:DiaaDia